terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A Velhinha de São Bernardo

1
Em uma casinha de fundos em São Bernardo, mora a última petista que ainda acredita no governo do PT. A Velhinha de São Bernardo.

Ela não se incomoda de ser chamada de velhinha. Aliás, não a chamem de outra coisa. “Essa frescura de Terceira Idade é coisa de quem faz hidroginástica no Sesc”.

Na sala tem uma foto do Lula, bem acima da televisão. Uma não, duas. Barbudo, cabeludo, com o microfone na mão no estádio da Vila Euclides, e o retrato oficial com a faixa de presidente. Mas as favoritas são as do quarto - uma da campanha de 89 e uma que ganhou “de um daqueles Stuquért” no Planalto no dia de uma das posses, em que ela aparece, copo de suco de tomate com vodka na mão, dando conselhos ao Gilberto Carvalho. “Não sou boba nem nada, não me venham com pouca merda. Conheço esses meninos faz tempo, eu lá ia querer sentar do lado do Genoino? Esse virou um molenga, não vai longe”.

A velhinha não suporta os comerciais de banco que mostram idosos felizes curtindo a aposentadoria. “Esses safados fazem de tudo para manter o povo alienado”.

Ela não vacila na vigilância aos donos do capital.

***
2
A velhinha de São Bernardo vibrou com a entrevista da Graça Foster. “Chupa, oposição”!

“Como podem acreditar naquela tal com cara de louca? Não mexe com a Graça não!”, gritava no sofá com uma camiseta “Dilma Coração Valente” da campanha de 2014.

“Hoje em dia até os pobres tem computador e internet, ao contrário do que acontecia no tempo do safado do Fernando Henrique. Vai dizer que aquela sem-vergonha não tem? Não podia preparar um powerpoint para levar na reunião da diretoria, que nem a Graça falou? Ela tem de ter bola-de-cristal e adivinhar o que é “irregularidade na licitação”? Tenha santa paciência! Quem quer denunciar fala as coisas ali, na lata. Qual é a dificuldade? Manda mensagem “cifrada”? Tá certa a Graça! Ninguém é obrigado”.

A velhinha gosta de ficar bem atualizada com as redes sociais. Tem twitter e segue a Dilma, o Rui, o Nassif e o Zé de Abreu. “Se aqueles bunda-moles tivessem metade do culhão que ele tem, não tinha essa palhaçada de CPI a torto e direito”. Ela acha os deputados do PT frouxos demais. “Não entendo como que o Vacca foi líder do governo. Com aquela cara de bebê chorão, parece que tá sempre assustado”!

Gostou do Vicentinho. Copiou a frase e mandou pros amigos do grupo “Mulheres em defesa das conquistas sociais”, que ela montou quando a oposição safada prometeu acabar com o Bolsa Família em 2010: “Ela aponta o dedo prum lado, aponta pro Lula, podia apontar pro Jesus Cristo... Beira uma insegurança muito grande”. Realmente, a vaca não respeita ninguém e fica apelando. Tava esperando a hora que ela ia chorar.

Quando a Marina chorou lembrando que passava fome, quase passou mal de tanta raiva. “Falsa! Oportunista! Nunca me enganou. Fiquei sabendo pelo Tiãozinho que nem o Chico Mendes ia muito com a cara dela”.

A velhinha tem acesso a quem ela quer.


segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A indecência das bandeirinhas

Não as que marcaram impedimentos inexistentes para fúria de alguns.

Não as que posaram nuas, para a fúria dos mesmos ou de outros.

As da conta de luz.

Quer dizer então, cidadão, que o governo fez o PAC 1, o PAC 2, o PAC Mobilidade, o PAC Copa do Mundo, o PAC Energia, o PAC infraestrutura, o PAC KCTA4 e agora ele gentilmente avisa na conta de luz: "a infraestrutura de energia avançou bosta nenhuma, então se prepara aí que de vez em quando a tarifa fica mais cara ainda"??

Botar a bandeirinha vermelha quando aumenta o uso de térmicas - que são mais caras e, como se não bastasse, mais poluentes - para que o cidadão saiba que é melhor economizar é tão descarado, tão torpe...

VOCÊ banca as obras das mega-hidrelétricas carésimas e discutíveis. Jirau, Santo Antonio, Belo Monte. VOCÊ arcará com os danos ambientais irreversíveis. E você arca com o custo adicional do uso das térmicas quando o sistema hidrelétrico não der conta.

Pras distribuidoras de energia, é um negocião. Se chove ou não chove, se precisa recorrer a esta ou aquela fonte, tanto faz, o pobrema é do fregueiz. Ele que economize, ué.

Ai Brasil... Tu não aprende.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Um dia qualquer de campanha: "Você não vai se arrepender"

Pedi voto para um senhor com uniforme de gari que comia um cachorro-quente no trailer que fica estacionado em frente ao Parque Antártica. Ele me ofereceu uma música , com a maior boa-vontade. O refrão era: “Vota no PT, vc não vai se arrepender”. Pelo menos uma estrofe detonava a Marina. A moça do trailer prestou atenção no meu material e ficou constrangida, vendo que ia dar m.

Terminou a música, eu disse que era muito legal, ele tinha o maior talento, mas depois de muito votar no PT, me arrependi... Não foi pra isso que fiz tanta campanha... Partido fez o contrário de quase tudo que defendia... “Ah, mas fez muito pelos pobres, antes ninguém fazia nada”. “Não é verdade nem que ninguém nunca fez nada, nem que o PT fez isso tudo que eles dizem. Olha lá no Nordeste, a miséria que ainda tem lá... Falta Educação, Saúde, até saneamento básico!”

“Minha filha, eu sou do Nordeste... Lá a coisa mudou muito. Estive lá na casa da minha mãe, antes eles tinham de caminhar quilômetros pra pegar água e agora tem uma caixa-d’agua assim, sabe, e eles pegam água de lá”.

“Sei, uma cisterna! É muito mais fácil, rápido e barato, faz a maior diferença pra melhor, mas o governo preferiu gastar bilhões naquela transposição do São Francisco que não tá pronta e nem vai trazer o benefício que eles estão prometendo. Há muito tempo que se faz cisterna pelo Nordeste, desde antes do PT, e já era tempo de todo mundo ter, isso sim”!

“Mas minha filha, é muito problema, não dá pra fazer tudo de uma vez”!

“Já faz DOZE ANOS que o PT tá governo! O Fernando Henrique ficou 8 e a gente achava um ABSURDO o que ele ainda não tinha feito. Agora já foram doze e “não deu tempo”??

Ele sorriu, abanou a cabeça, “Olha, filha, gostei de você, você parou aqui pra discutir, mostrou que é uma pessoa de fibra. Pode deixar que eu vou votar em você e minha família também. Mas eu vou votar na Dilma”.

(Achei essas anotações soltas em um arquivo de word recuperado, por isso só apareceram aqui agora)